Covid-19 e a Reurbanização

Num misto de incredulidade e espanto, a humanidade se viu forçada ao isolamento social em tempo recorde. Até então o mundo globalizado, em ritmo frenético, tinha dinâmica própria, quase inimaginável de parar, tal como trem embalado ganhando mais e mais velocidade. Eis que de repente, o aparentemente impossível ocorreu, tudo estancou. Praticamente todo o planeta submeteu-se ao indiscutível processo de reclusão forçada, todos compelidos à “reurbanização de isolamento”: próximos, mas distantes. Tal reurbanização horizontal está incidindo em mais da metade da população mundial e vem crescendo. Cabe a indagação: o que está por trás de tudo, seria simplesmente o vírus? Quando ampliamos a visão, vemos algo maior em curso.

O IIPC pesquisa e divulga à luz da neociência Conscienciologia, cujo foco abrange existências prévias, outras dimensões existenciais, as bioenergias e o processo evolutivo das consciências. Essa análise constitui lente reveladora de outra realidade, mais ampliada, propiciando maior lucidez com relação ao pano de fundo multidimensional. Fato é que coexistem verdadeiras comunidades extrafísicas junto às intrafísicas, umas influenciando as outras, muitas vezes negativamente. Por isso mesmo, de tempos em tempos, levas de consciências renascem para limpar essas comunidades e melhorar o ambiente intrafísico. A profilaxia em grande escala tem como consequência a superlotação do planeta. Reparem que em menos de 50 anos a população mundial mais que dobrou, somos quase 8 bilhões em 2020.

Ocorre que boa parte das consciências oriundas das comunidades extrafísicas, defasadas, renascem para serem reeducadas nesse século 21, mas encontram outra sociedade bem diferente, especialmente com relação aos aspectos moral e ético. Assim, temos esse mix de limpeza extrafísica com as consciências que renasceram desse movimento, o que num primeiro momento piora o planeta Terra para depois melhorar gradualmente. Nitidamente, a crise da Covid-19 faz parte de estratégia de reurbanização multidimensional, mexendo com grande parte da humanidade, forçando às reciclagens individuais e grupais, melhorando a empatia e a solidariedade, pois escancara estarmos no mesmo barco e sermos responsáveis uns com os outros. Tal reciclagem em massa traz também repercussões nas comunidades extrafísicas e nas reciclagens decorrentes. Essa fase denota estar em curso mudança de evolução global do planeta, rumo ao Estado Mundial, haja vista a OMS (Organização Mundial da Saúde) estar atualmente à frente do comando mundial, apontando métodos mais eficientes de combate às pandemias.

As pesquisas do prof. Waldo Vieira revelaram que o movimento da reurbanização extrafísica remonta do ano 1100 quando consciências mais lúcidas iniciaram movimento crescente nesse sentido. O Renascimento, a descoberta das Américas, o Iluminismo, a Revolução Francesa e a democracia americana mostram a aceleração da história favorecendo as reurbanizações. Nesse sentido, o século 20 foi marcado pelas 2 grandes guerras mundiais, a criação da ONU, a queda do muro de Berlim e a criação da União Européia. Agora no século 21 estão previstas maiores mudanças, pois as comunidades extrafísicas estão sendo preparadas para incrementar as interações com as comunidades intrafísicas em todo o planeta. Esse megaprocesso deve ainda acelerar mais nos próximos anos, finalizando por volta de 2075, quando então tornar-se-á realidade o Estado Mundial, inaugurando a Era Consciencial.

Texto por Felix Wong*

*Felix Wong é coordenador geral do Instituto Internacional de Projeciologia e Conscienciologia (IIPC), instituição de educação e pesquisa científica, laica, sem fins lucrativos.