Autossuperação da ansiedade

Por Cirlei Gurgel

Você já se pegou com medo, inquieto, nervoso, tendo repercussões físicas de dor no peito, palpitações e falta de ar sem causa aparente? Tem a sensação de perda de tempo e não consegue concluir todos os afazeres do seu dia? Esses sintomas e sensações são combinações complexas típicas da ansiedade.

Em uma sociedade que está cada vez mais informatizada e em ritmo de produção acelerado, é comum depararmos com os chamados workaholics, ou seja, indivíduos que trabalham de maneira compulsiva, sempre com agenda lotada e sensação de perda de tempo. Suas rotinas consistem na intolerância à espera em filas e consultórios, impaciência no trânsito, extrema competitividade, cobranças no trabalho e na família.

Encontrar o equilíbrio físico, mental e emocional diante dessa realidade é um desafio. Por isso, é importante conhecer e optar por ferramentas, que auxiliem na superação dessa condição, principalmente, quando gera distúrbios mais sérios.

Artigo originalmente publicado na revista Psique

Diante desse panorama, algumas pessoas vêm buscando mudar seu estilo de vida através do autoconhecimento, dando atenção aos detalhes de sua personalidade. Atualmente, a Conscienciologia, ciência sustentada pela autopesquisa ou estudo de si próprio, que foi proposta em 1981 pelo pesquisador Waldo Vieira, desbrava o estudo técnico da consciência, ou seja, aquilo que se denomina por ego, essência, eu, individualidade, pessoa, self, ser ou sujeito, considerando variáveis multidimensional, multitemporal e multiexistencial.

A pesquisa da consciência lança premissas para uma realidade em que o homem, finalmente, descobre que é a causa de seus problemas e, por isso, pode solucioná-los por si mesmo. Desse modo, a autopesquisa favorece eliminação da causa da ansiedade pela raiz.

Uma dica fundamental para a pessoa iniciar sua pesquisa é adquirir hábitos de vida mais saudáveis, incluindo respiração mais profunda, diafragmática, a qual funciona como um ansiolítico natural, atividade física que sinta prazer, alimentação balanceada, horas de sono que reestabeleça as energias, atividades de lazer e estabelecer laços de amizade. A seguir, destaco algumas técnicas:

Identificação de traços fortes (trafores), traços fardos (trafares) e traços faltantes (trafais) – Consiste na elaboração de uma lista, contendo os traços mais expressivos da sua personalidade. Vale a pena pedir para amigos, familiares e colegas de trabalho para listarem esses traços, servindo de material para início da autopesquisa.

Técnica dos questionamentos – Propõem questionar continuamente os pensamentos, sentimentos, comportamentos, com o intuito de qualificar a autopesquisa, identificar atributos, imaturidades e verificar sua dinâmica de se portar diante diversas situações que estão mantendo-o ansioso, vislumbrando a posterior melhoria.

Técnica da madrugada – Pode ajudar no desenvolvimento do autoconhecimento. Consiste em acordar no meio da noite, pegar uma folha em branco e escrever sobre as suas dúvidas e problemas, sem reprimir qualquer tipo de inspiração. As ideias podem surgir para reforçar a reflexão para solução de conflitos.

Técnica das pequenas ações – O ideal é implantar pequenas e constantes ações, agindo no cotidiano de maneira mais sadia e criando novas sinapses, que possibilitam o enfrentamento de novos desafios.

Técnica das rotinas úteis e hábitos saudáveis – Está relacionada à auto-organização, de tal modo que, a partir da execução de rotinas úteis, o indivíduo já começa a sentir melhora. A palavra de ordem é organizar-se e começar a agir agora. Eliminando hábitos patológicos e rotinas mantenedoras de estresse.

Técnica das evitações inteligentes – A técnica consiste em evitar locais, pessoas, pensamentos, sentimentos e energias, que remetam ao comportamento ou traço que se pretende reciclar. A pessoa passa a agir de outra forma, eliminando as suas autocorrupções.

Técnica do Estado Vibracional – As energias, objeto de pesquisa da Conscienciologia, estão presentes nas pessoas e ambientes. O estado vibracional é obtido movimentando-se as energias conscienciais pessoais da cabeça aos pés e dos pés à cabeça, em circuito fechado, a partir da vontade, intensificando-se o fluxo energético até sentir uma intensa vibração. É uma técnica, que possibilita promover o desbloqueio energético; a autodefesa energética; a assepsia de um ambiente; e o preparo para a aplicação de outras técnicas.

Imobilidade Física Vígil – Consiste em dominar o corpo, ficando imóvel por três horas ininterruptas, sentado em uma poltrona, com as pernas estendidas sobre um apoio, olhando, fixamente, para um anteparo branco e liso, mantendo os olhos semicerrados. Somente a respiração natural é permitida, devendo-se evitar engolir e, até mesmo, piscar. Deve-se resistir a coceiras, tosse e à vontade de se mexer. Durante a realização da técnica pode-se refletir sobre questões pessoais de interesse, mobilizar energias conscienciais e explorar as percepções, desde que se permaneça imóvel. Essa técnica promove o domínio e controle da ansiedade, do cerebelo, do corpo, entre outros benefícios.

Cirlei Gurgel é graduada em Psicologia, graduanda em Terapia Cognitiva-Comportamental (IPTC), co-autora do livro Terapia Cognitivo-Comportamental com crianças e adolescentes (Guia de referência de ferramentas e estratégias terapêuticas), professora, pesquisadora e voluntária do Instituto Internacional de Projeciologia e Conscienciologia (IIPC) .